Cidades paulistas vacinam em ritmo desigual e cobertura varia de 11% a 78%

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Apesar dos avanços anunciados pelo governador João Doria no calendário de vacinação paulista, com previsão de imunizar todos os adultos até 15 de setembro, o ritmo nas cidades ainda é desigual, com variações na primeira dose de 11% a 78% de cobertura total. Algumas se queixam de falta de doses, enquanto outros municípios estão mais adiantadas do que prevê o calendário do Estado.

Um dos exemplos é Campinas, que vacinou 33,34% da população, segundo dados do Vacinômetro estadual. Já a cidade de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, atingiu cobertura de 20,38%. “Temos recebido menos doses, embora nossa população seja maior”, informou a Prefeitura. Até esta quinta-feira, Campinas havia recebido 644 mil e Guarulhos, 579 mil doses, sendo que a cidade da Grande São Paulo tem 1,39 milhão de habitantes e a do interior, 1,21 milhão.

Conforme os dados do Vacinômetro, plataforma do governo do estado que divulga o andamento da campanha, Salto é uma das cidades que menos vacinou a população até agora. Dos 645 municípios que integram o ranking, Salto aparece apenas na 496ª posição, com apenas 26% da população vacinada. De acordo com os dados disponibilizados pelo governo, até esta quinta-feira (17), foram aplicadas 44.517 doses da vacina. A cidade já recebeu 58.080 doses, o que significa que foram aplicadas 76,65% das doses recebidas.

Do total de doses recebidas pela Prefeitura de Salto, aproximadamente 50% corresponde à AstraZeneca, 45% é Coronavac e apenas 5% é da Pfizer.

No ranking do Vacinômetro estão atrás de Salto, as cidades de Porto Feliz (514º lugar), com 25,4% da população vacinada; Elias Fausto (518º lugar), com 25,2%; Sorocaba (567º lugar), com 23,3% e Cabreúva (631º), com 18,5% da população vacinada.

A cidade da região melhor colocada é Indaiatuba, que aparece na 350º posição, com 29,5% da população vacinada. Depois vem Itu, em 461º lugar, com 26,8%.

Dos 645 municípios existentes no Estado de São Paulo, a cidade que mais vacinou foi Botucatu, com 78,7% da população sendo vacinada. O município é um caso isolado, pois foi escolhido para participar de uma vacinação em massa, como parte de um projeto de estudo da vacina produzida pelo laboratório AstraZeneca, Universidade de Oxford e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), elaborado pela parceria entre a prefeitura, Ministério da Saúde, Governo Federal, Unesp, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, e Fundação Gates. Foram aplicadas 116.528 doses da vacina. Depois aparece Serrana, que imunizou 74,1% da população, com a aplicação de 33.801 doses (a cidade possui 45.644 habitantes).

Já a pior cidade do Estado no ranking de vacinação é Balbinos, que dos 5.934 habitantes, vacinou apenas 11,58% da população.

Governo explica distribuição de doses

Em nota, a Secretaria da Saúde do Governo de São Paulo afirma que as doses enviadas para a cidade são suficientes. Segundo a nota, o cálculo de distribuição de vacinas é feito pelo Ministério da Saúde, de acordo com o número de pessoas imunizadas contra a gripe em 2020 em cada município.

Receba as principais notícias de Salto e região toda semana em seu e-mail e WhatsApp de forma GRATUITA com a qualidade e profissionalismo que o PRIMEIRAFEIRA apresenta semanalmente em nossas edições na comodidade de seu lar.

    E-mail:
    Celular: