Salto é a 10ª cidade do Estado com menor custo per capita com vereadores

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Um levantamento apresentado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) com base em gastos realizados pelo Poder Legislativo nas cidades do interior e do litoral do Estado paulista, e realizados entre os meses de maio de 2021 e abril deste ano, mostrou que a cidade de Salto é uma das dez cidades que menos gastam com vereadores. O custo per capita na cidade é de R$ 35,84.

 

Bariri tem o menor custo per capita com cada parlamentar, em R$ 23,26, enquanto a cidade com maior custo por vereador foi Borá. O pequeno município de apenas 839 habitantes e que conta com 9 vereadores na Câmara Municipal, gasta com cada integrante do legislativo local, R$ 945,76.
Considerando apenas o ano de 2021, o custo per capita por vereador em Salto foi ainda menor, R$ R$ 35,73. E nos últimos anos, o que fica constatado é uma redução gradual desse valor. Em 2019, o custo per capita era de R$ 43,43, enquanto em 2020 foi de R$ 41,22.

 

Dentre as cidades da região, Itu é a que possui o maior custo per capita com os integrantes do Legislativo. O ituano gasta em média R$ R$ 68,34 por parlamentar. Na sequência, Porto Feliz tem o maior gasto per capita com vereadores, de R$ 66,77. Em Indaiatuba o custo per capita com vereadores é de R$ 53,36, enquanto em Cabreúva, esse gasto é de R$ 50,11.

 

O gasto total da Câmara de Vereadores de Salto é de R$ 4.329.286,64 (com exceção das despesas de capital).

 

Dentre as cidades da região, a Câmara de Indaiatuba é a que possui maior gasto total, estimado em quase R$ 14 milhões. Na sequência vem Itu com um custo total de pouco mais de R$ 12 milhões. Em Porto Feliz, o gasto total da Câmara é de R$ 3,5 milhões e em Cabreúva, esse gasto é de R$ 2,5 milhões.

 

Campinas é a cidade que mais gastou no período, com um investimento de mais de R$ 100 milhões. Por outro lado, no Estado, Lucianópolis foi a cidade com menor gasto com a Câmara de Vereadores, cuja despesa foi de aproximadamente R$ 375 mil.

 

O custeio das 644 Câmaras Municipais (exceto da capital), do Estado de São Paulo, representa R$ 85,96 por cidadão paulista. Com plenários que vão de nove a 34 cadeiras, as Casas Legislativas paulistas abrigam 6.908 Vereadores que representam uma população estimada em 34.252.760 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2021.

 

 

 

 

Presidente cita gestão eficiente, mas fala em novos investimentos

 

O presidente da Câmara de Vereadores, Cícero Landim, foi procurado pelo jornal PRIMEIRAFEIRA, para comentar sobre o levantamento do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) sobre a Câmara de Salto ser uma das que possuem o menor gasto per capita com vereadores.

 

Cícero explicou que o legislativo saltense conta com estrutura enxuta e, atualmente, não tem despesas com assessores parlamentares e verbas de gabinete, diferentemente de outras Casas Legislativas da região. Além disso, o presidente disse prezar pelo que considerou uma ‘gestão eficiente e econômica’.

 

“Também é importante ressaltar que a Mesa Diretora, com o apoio dos demais vereadores, vem trabalhando para colocar em prática uma gestão mais eficiente e ao mesmo tempo econômica, ressaltando a mudança de horário das sessões ordinárias que eram realizadas à noite e passaram a ter início às 14 horas, permitindo-se economizar nas horas extras dos servidores, e possibilitando ao Legislativo devolver um valor significativo de duodécimo à Prefeitura. Toda esta situação é importante para mostrar que o Poder Legislativo tem como principal objetivo trabalhar em prol da população saltense”, afirmou Cícero.

 

Entretanto, ele ressaltou a importância de realizar novos investimentos para melhorar ainda mais as condições de trabalho na Casa de Leis. “Novos investimentos na Câmara de Salto serão necessários para estruturar o Legislativo. Pretendemos ampliar a qualidade no atendimento aos munícipes, diminuir a quantidade de papel utilizado na rotina administrativa, além de modernizar os procedimentos; e para tanto certamente será preciso mais investimentos, como no caso da transferência da Câmara para outro local. Vamos melhorar as condições tanto em relação à estrutura física quanto de novos profissionais que possam vir a colaborar no trabalho, fortalecendo a Casa de Leis, a qual permanece atuante e atenta às necessidades da população”, completou.

Receba as principais notícias de Salto e região toda semana em seu e-mail e WhatsApp de forma GRATUITA com a qualidade e profissionalismo que o PRIMEIRAFEIRA apresenta semanalmente em nossas edições na comodidade de seu lar.

    E-mail:
    Celular: